A mobilidade inteligente pode significar menos vendas futuras no setor automotivo. Um dilema.

Desenvolver a mobilidade inteligente, por enquanto, está só no campo das ideias, mas certamente o próximo nível passará por energia limpa, uso racional do espaço nas ruas, flexibilidade e conectividade. Veremos crescer os aplicativos de compartilhamento, prestação de serviços e modelos autossustentáveis de produção de energia.

Se tudo isso vingar é possível que, daqui a algumas décadas, a indústria automobilística produza e venda menos carros. Será que a megatendência no setor automotivo trará, como consequência, um modelo de autodestruição?

Note que, só estou falando de coisas concretas, não de veículos autônomos.

O veículo da foto representa um modelo de mobilidade inteligente, o qual acredito ser viável em breve, tão logo as baterias solid state estejam implementadas.

Cada vez mais as pessoas demandarão menos carros e mais transporte de qualidade, menos poluidores e mais amigos do meio-ambiente, mais sistemas como o “Yellow”, mais ônibus, mais metrôs, mais trens, mais compartilhamento, menor deslocamento até o trabalho, veículos menores e menos ociosos. As novas gerações, a partir da Geração Z, trocarão os carros próprios por redes públicas de wi-fi com altíssima velocidade, outras prioridades. As necessidades mudarão em direção à Sociedade 5.0.

OM

Leia meu artigo sobre a Sociedade 5.0

Crédito de imagem 1: Toyota

Crédito de imagem 2: CyclingPromotion/Australia

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s