O que os recrutadores olham em suas redes sociais? Cuidado com o que você posta.

O portal do Pensamento Corporativo fez uma coletânea das estatísticas nos últimos quatro anos, divulgadas no Brasil e nos EUA, sobre a forma como recrutadores utilizam as redes sociais para identificar potenciais candidatos. Selecionei aqui algumas dicas importantes, bem como alerto para armadilhas e golpes que os profissionais em busca de recolocação podem cair.

Cuidado com o seu perfil e com o que você posta nas redes sociais

  • 89% das empresas em busca de profissionais utilizam, também, o Linkedin como fonte, por conta própria ou por meio de uma empresa de recrutamento.
  • 72% dos recrutadores analisam o comportamento dos candidatos nas redes sociais, postagens, interesses, ideologia, interações, valores morais, empresas que seguem e até as conexões. Na maioria das vezes os clientes definem os parâmetros comportamentais para serem pesquisados.
  • 52% dos recrutadores regularmente descartam potenciais candidatos a partir de uma primeira análise comportamental em suas redes sociais.
  • 67% dos recrutadores estendem suas pesquisas comportamentais, sobre o potencial candidato, para o Facebook e/ou Instagram. 36% deles também acessam o Twitter do candidato (se possuir). Imagens obscenas, agressividade, discussões desnecessárias e comportamento antissocial, contam pontos negativos para o candidato.

Sobre o curriculum vitae (10 segundos de sua atenção)

  • Recrutadores recebem centenas, até milhares de currículos para cada oportunidade de emprego divulgada. Dez (10) segundos é o tempo médio que o recrutador olha para um currículo recebido.

Os currículos efetivos são aqueles que passam todas as informações importantes (e verdadeiras) em uma única página, com foto. Posteriormente o candidato terá oportunidade de fornecer mais informações.

Armadilhas para quem está em busca de recolocação

O Linkedin oferece grande quantidade de vagas e oportunidades, mas o candidato deve atentar-se para a qualidade das vagas apresentadas. Analise a vaga e a empresa (se disponível), antes de sair distribuindo suas informações pessoais para um “buraco negro”.

  • Veja a consistência da vaga apresentada e se tiver erros de Português, pouquíssima informação sobre o trabalho e ainda, vagas de grande responsabilidade que requeiram apenas o 2° grau completo, desconfie imediatamente. Uma vaga que busca um diretor geral ou gestor executivo, que tenha como requisito apenas o segundo grau como formação, não tem muita chance de ser algo atrativo ao candidato e uma vaga com poucos esclarecimentos pode significar uma armadilha.
  • Cuidado com “vagas fakes”. Sites de emprego com baixa credibilidade e excesso de propagandas, agências caça-niqueis e até mesmo o próprio Linkedin apresentam vagas falsas, muitas vezes colocadas com a finalidade de reter informações pessoais dos candidatos. Se você é daqueles que disparam o currículo como uma metralhadora, sem fazer as devidas análises do site, da empresa ou da vaga, terá grande chance de começar a receber ligações e e-mails oferecendo cursos e trabalhos de assessoria profissional, coaching e serviços de recolocação, todos pagos.

O mercado está inundado de bons profissionais

A crise dos últimos cinco anos jogou no mercado uma quantidade muito grande de bons profissionais, experientes, chefes de família e até recém-graduados. É fácil verificar no Linkedin, por exemplo, algumas postagens de profissionais desempregados que nos levam à emoção, tamanho desespero do candidato. Recebo semanalmente dezenas de currículos e confesso que não me sinto bem em não poder ajudar a todos.

Contudo, creio que as dicas acima são uma forma de ajuda para essas pessoas. Tenham calma, mas não se iludam, pois, o mercado de trabalho não será mais o mesmo. Procure se reinventar e busque em você as qualidades e atributos que a rotina profissional dos últimos anos lhe fez esquecer, ou, quem sabe, aquelas que você nem sabia que possuía.

O intra-empreendedorismo irá potencializar em você as forças emocionais e energia para construir algo novo em sua vida.

Quero encerrar esse texto com uma lição dita nesta semana por Arnold Schwarzenegger em São Paulo: “Aceite as derrotas, mas não desista. Você tem que ser um pouco como o exterminador do futuro e sempre retornar. A vida não é feita só de vitórias, as derrotas acontecem. Eu falhei, mas não me conformei, levantei para lutar mais uma vez. Falhar não te torna um fracassado, não tentar de novo é que é o problema”

Desejo-lhe sucesso. Siga o Portal do Pensamento Corporativo e se puder, siga-me também no Linkedin.

Orlando Merluzzi – 16/04/2019

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s